CancerTutor Home Page
Parte 1 – A Medicina
Parte 3 – A Política

Parte 2 – A grande farsa
As quatro partes de qualquer tabela da verdade

Se você é casado(a), há mais de 60% de probabilidade de que você ou sua esposa(o) vá ser diagnosticado(a) com câncer durante as suas vidas! Essa porcentagem continua crescendo.

Em algum ponto da sua vida você provavelmente ouviu falar de tratamentos de câncer que usam substâncias naturais, tais como vitaminas, enzimas, minerais etc. Esse tipo de medicina é normalmente chamado de “Medicina Alternativa”. O que você ouviu falar sobre Medicina Alternativa pode ter feito você se sentir bem em relação a ela ou pode ter feito você se sentir mal em relação a ela. De qualquer maneira, na época, você não estava provavelmente motivado(a) a fazer pesquisa para descobrir a verdade.

Talvez, tivesse você, ou não, câncer, você quisesse saber a verdade sobre quais tratamentos de câncer, os alternativos ou os ortodoxos, eram mais eficazes, seguros, menos dolorosos etc.. Se você entendesse o processo de encontrar a verdade, você iria passar pelos quatro passos da “tabela da verdade”.

1) Aprenda as boas coisas sobre os tratamentos ortodoxos de câncer com aqueles que apóiam a Medicina Ortodoxa.

2) Aprenda as coisas ruins sobre os tratamentos alternativos de câncer com aqueles que apóiam a Medicina Ortodoxa.

E você (essa linha representa a “cerca” simbólica entre a Medicina Ortodoxa e a Medicina Alternativa) iria:

3) Aprender as boas coisas sobre os tratamentos alternativos de câncer com aqueles que apóiam a Medicina Alternativa.

4) Aprender as coisas ruins sobre os tratamentos ortodoxos de câncer com aqueles que apóiam a Medicina Alternativa.

De um lado da “cerca” estão as pessoas que representam a Medicina Ortodoxa, que lhes contarão, com prazer, as boas coisas sobre a Medicina Ortodoxa e as coisas ruins sobre a Medicina Alternativa. Do outro lado da cerca, estão os representantes da Medicina Alternativa.

Se você fosse um especialista no que as pessoas dos dois lados da cerca estão dizendo (ou seja, se você fosse um especialista nos quatro itens da tabela da verdade), então você estaria na posição de tomar uma decisão inteligente sobre qual lado possui os melhores tratamentos.

O problema é que quando as pessoas ouviram, daqueles que apóiam a Medicina Ortodoxa, as boas coisas sobre a Medicina Ortodoxa e ouviram, daqueles que apóiam a Medicina Ortodoxa, coisas ruins sobre a Medicina Alternativa, eles pensam que são especialistas em ambos os assuntos. Mas eles não são especialistas em nenhum assunto porque eles não ouviram uma palavra sequer daqueles que apóiam a Medicina Alternativa.

Ao mesmo tempo em que isso soa como um simples conceito é praticamente impossível para uma pessoa média compreender. Por que eles escutariam pessoas que, durante toda a vida, lhes foi dito para não escutar? Eu vou repetir aquele último parágrafo.

O problema é que quando as pessoas ouviram daqueles que apóiam a Medicina Ortodoxa, as boas coisas sobre a Medicina Ortodoxa e ouviram daqueles que apóiam a Medicina Ortodoxa, coisas ruins sobre a Medicina Alternativa, eles pensam que são especialistas em ambos os assuntos! Mas eles não são especialistas em nenhum assunto porque eles não ouviram uma palavra sequer daqueles que apóiam a Medicina Alternativa.

Aqui está a verdade eterna: se os que apóiam a Medicina Ortodoxa (por exemplo, a Sociedade Americana de Câncer) mentirão a você dizendo o quão bons são os tratamentos ortodoxos de câncer, então os que apóiam a Medicina Ortodoxa (por exemplo, os vigilantes dos charlatões) também mentirão a você sobre o quão ruim os tratamentos alternativos de câncer são. Por isso é que você não sabe a verdade nem sobre os tratamentos ortodoxos de câncer e nem sobre os tratamentos alternativos de câncer.

Milhares de vezes você ouviu falar o quão maravilhosos são os médicos ortodoxos via: programas tais como M*A*S*H, Marcus Welby, MD, outros programas de TV de médicos e hospitais, programas de notícias, revistas, propagandas etc. Essas coisas naturalmente transferem a você, a crença de que os tratamentos ortodoxos de câncer devem ser também maravilhosos (ou seja, a tabela da verdade no. 1). E você deve, sem dúvida, ter escutado dúzias de coisas ruins sobre tratamentos alternativos de câncer (tabela da verdade no. 2). Note, a partir da tabela apresentada, que ambos os itens vêm daqueles que apóiam a Medicina Ortodoxa. Em outras palavras, você ouviu todas essas coisas do mesmo lado da cerca.

Você provavelmente nunca ouviu nada de ruim sobre os tratamentos ortodoxos de câncer (tabela da verdade no. 4), e muito provavelmente você nunca ouviu nada de bom sobre tratamentos alternativos de câncer (tabela da verdade no. 3). Por que você não ouviu muita coisa, se é que ouviu algo, daqueles que apóiam a Medicina Alternativa?

Quando você só ouviu pessoas de um lado da cerca, durante toda a sua vida, você deveria desejar saber por quê.

Uma pessoa educada é aquela que aprendeu que informação quase sempre acaba sendo, na melhor das hipóteses, incompleta e muito frequentemente falsa, enganosa, fictícia, mentirosa – completamente errado.
Russell Wayne Baker (1947 -) Jornalista norte-americano

O que você ouve na mídia está baseado em quem está mais perto da verdade ou está baseado em quem tem mais dinheiro?

Para demonstrar como a sua informação tem vindo de um único lado, responda essas duas perguntas. Primeiro, quando foi a última vez que você viu um programa de drama numa importante rede de televisão onde o herói era um praticante da Medicina Alternativa que estava fazendo tratamentos alternativos de câncer parecerem seguros e eficazes? Segundo, cite 10 dos tratamentos alternativos de câncer mais eficazes.

O que você está para ler irá contradizer tudo o que você ouviu a sua vida inteira. Sua reação natural muitas vezes será de descrença. Mas se você está desejando gastar a próxima hora lendo esse artigo (ou seja, sobre a tabela da verdade no. 3 e a tabela no. 4), isso poderá levar você a uma viagem que salvará sua vida ou a vida de um ente querido!

Esse é um website de utilidade pública, portanto não tenho interesse financeiro na sua decisão. Entretanto, depois de estudar todas as quatro partes da tabela da verdade por centenas de horas, eu estou certo de que será do seu maior interesse continuar a leitura.

Antes de prosseguir, vamos deixar claro um ponto chave. Alguns leitores pensam que este artigo é sobre comparar:

  1. Tratamentos ortodoxos, facilitados ou complementados com tratamentos alternativos (chamados de “medicina complementar”), versus
  2. Tratamentos ortodoxos sem tratamentos alternativos.

Embora seja um tópico interessante, não tem nada a ver com esse artigo.

Esse artigo é sobre a comparação de:

  1. Tratamentos ortodoxos sem tratamentos alternativos versus,
  2. Tratamentos alternativos sem tratamentos ortodoxos.

Em outras palavras, esse artigo é sobre usar tratamentos de câncer alternativos, significando o uso de substâncias naturais, ao invés de tratamentos ortodoxos. Bem-vindos à tabela da verdade no. 3 e a tabela da verdade no.4. Você precisa pensar em substâncias naturais como um tratamento para câncer completo, independente.

Um teste rápido sobre tratamento alternativo de câncer

Vamos descobrir o que você sabe sobre tratamentos alternativos:

Questão no. 1: O Dr. Ewan Cameron, e o ganhador do Prêmio Nobel, por duas vezes, Linus Pauling, conduziram estudos na Escócia (que foram duplicados por estudos no Canadá e no Japão) comparando a terapia com vitamina C à quimioterapia. Qual grupo de pacientes, aqueles com vitamina C ou com quimioterapia, viveu mais, na média, e quanto mais?

Questão no. 2: Um médico norte-americano adepto aos tratamentos alternativos de câncer tratou 33.000 pacientes com câncer, muitos dos quais haviam sido desenganados pela Medicina Ortodoxa e haviam sido encaminhados para casa, para morrer. Qual foi a taxa de cura verificada?

Questão no. 3: Preencha os espaços em branco: “numa revisão de 206 estudos com humanos, [quais alimentos] consistentemente emergiu como um dos melhores alimentos contra o câncer.”

Questão no. 4: Quantas descobertas Prêmio Nobel (e quando eles foram outorgados) a Dra. Johanna Budwig usou para ajudá-la a desenvolver o tratamento de câncer com óleo de linhaça (ômega 3) /Queijo Cottage (proteínas sulfúricas)?

Questão no. 5: É um absurdo pensar que uma pessoa possa se curar de câncer simplesmente mudando a sua dieta. Somente profissionais podem curar câncer. Verdadeira ou falsa?

Vamos responder essas questões.

Questão no. 1

Questão no. 1: O Dr. Ewan Cameron, e o ganhador do Prêmio Nobel, por duas vezes, Linus Pauling, conduziram estudos na Escócia (que foram duplicados por estudos no Canadá e no Japão) comparando a terapia com vitamina C à quimioterapia. Qual grupo de pacientes, aqueles com vitamina C ou com quimioterapia, viveu mais, na média, e quanto mais?

Resposta: Os pacientes com vitamina C viveram, em média, seis vezes mais que os pacientes da quimioterapia. Eu não sei por que alguém ficaria surpreso com esse resultado. Câncer, em muitos casos, não é nada mais do que um sintoma de sistema imunológico enfraquecido. A quimioterapia praticamente destrói um sistema imunológico já enfraquecido, e é o sistema imunológico que trata do câncer em condições normais. Por outro lado, a vitamina C ajuda a reconstruir o sistema imunológico. Faz sentido alguém que teve seu sistema imunológico melhorado viver mais do que alguém que teve seu sistema imunológico destruído.

Como o Dr. Pauling era mundialmente famoso e tinha uma reputação impecável quanto à qualidade e integridade, uma pessoa pode desejar saber por que a comunidade médica ortodoxa não realizou outros estudos sobre vitamina C e câncer. Eles realizaram outros estudos com vitamina C. Mas os propósitos desses estudos não eram o que alguém esperaria. Direi mais sobre isso adiante.

Questão no. 2

Questão no. 2: Um médico norte-americano adepto aos tratamentos alternativos de câncer tratou 33.000 pacientes com câncer, muitos dos quais haviam sido desenganados pela Medicina Ortodoxa e haviam sido encaminhados para casa, para morrer. Qual foi a taxa de cura verificada?

Resposta: O Dr. William Donald Kelley, um dentista por formação, obteve uma taxa de cura de 93% em pacientes que viveram de 1 a 1ano e meio depois de começar o seu tratamento. Essa taxa de cura foi verificada por um estudo de cinco anos por um médico ortodoxo. Sua técnica é chamada de terapia “metabólica”, e adivinhem, foi criada para reforçar o sistema imunológico e, com segurança, e seletivamente, matar células cancerosas.

Mas o que é até mais significativo é a resposta a essa questão: “se nós descontarmos todos os seus pacientes que procuraram médicos ortodoxos antes de ir ao Dr. Kelley, e somente contássemos aqueles que procuraram o Dr. Kelley em primeiro lugar, qual teria sido a sua taxa de cura”?

Primeiramente, mesmo para a Medicina Ortodoxa, a vasta maioria dos pacientes com câncer vive pelo menos um ano e meio após terem sido diagnosticados pela primeira vez. Mas para o Dr. Kelley é lógico concluir que uma porcentagem até mais alta de pacientes com câncer que o procuraram em primeiro lugar, viveram pelo menos um ano e meio porque o tratamento do Dr. Kelley não danifica o sistema imunológico, ao contrário, ele fortalece o sistema imunológico. Além do mais, o Dr. Kelley obteve uma taxa de cura alta até para pacientes com câncer pancreático que o procuraram primeiro.

Em outras palavras, praticamente todos os pacientes de câncer que primeiro procuraram o Dr. Kelley estavam no grupo que teve uma taxa de 93% de cura! Se tirarmos uma conclusão ainda mais óbvia que entre aqueles pacientes com câncer na estatística de 93%, os que o procuraram em primeiro lugar tinham pelo menos uma taxa de cura tão alta quanto aqueles primeiro procuraram a Medicina Ortodoxa, então podemos logicamente concluir que a sua taxa de cura em pacientes que primeiro o procuraram estava provavelmente ao redor de 90%.

Tudo isso é uma conclusão altamente lógica por três razões:

  • Primeiro, ele usou tratamentos idênticos independentemente de o paciente o ter procurado em primeiro lugar ou procurado a Medicina Ortodoxa em primeiro lugar,
  • Segundo, com os pacientes que procuraram a Medicina Ortodoxa em primeiro lugar, o Dr. Kelley perdeu muito tempo antes que fosse capaz de começar o tratamento nesses pacientes. Em outras palavras, ele começou seus tratamentos depois que seus cânceres estavam bem adiantados (comparados com aqueles que o procuraram em primeiro lugar), e
  • Terceiro, aqueles pacientes que procuraram a Medicina Ortodoxa em primeiro lugar tiveram seus sistemas imunológicos severamente comprometidos antes de irem ao Dr. Kelley (em outras palavras, aqueles que procuraram o Dr. Kelley primeiro, ainda possuíam seus sistemas imunológicos intactos), assim o Dr. Kelley teve de reconstruir aquela porção dos seus sistemas imunológicos antes de começar seu tratamento, para torná-lo totalmente eficaz. Essa perda de tempo foi adicional, ou seja, ultrapassou o tempo perdido por terem os pacientes, em primeiro lugar, procurado a Medicina Ortodoxa.

Em outras palavras, é óbvio que se 10.000 novos pacientes com câncer, que não tiveram nenhum tratamento ortodoxo, foram primeiro ao Dr. Kelley, sua taxa de cura geral para essas pessoas estaria perto de 90%, e talvez até mais alta! É bem, bem mais alta do que a dos pacientes que primeiro recorrem à Medicina Ortodoxa.

De fato, como será mostrado em seguida, quando você desconta todos os truques das estatísticas elegantes da Medicina Ortodoxa, tais como sua “cura de 5 anos”, a taxa verdadeira de cura da Medicina Ortodoxa torna-se 3%. Assim, os pacientes que foram PRIMEIRO ao Dr. Kelley tiveram uma chance TRINTA VEZES maior de sobreviver ao seu câncer do que aqueles que procuraram exclusivamente a Medicina Ortodoxa.

O prêmio outorgado ao Dr. Kelley pela Medicina Ortodoxa, por sua alta taxa de cura, foi o de ter sido jogado na prisão. Kelley também teve de transferir seu tratamento para o México. Felizmente, ele escreveu um livro sobre seu tratamento: Câncer, curando o incurável sem cirurgia, quimioterapia ou radioterapia (Cancer, Curing The Incurable Without Surgery, Chemotherapy or Radiation) antes de sua morte, no início de 2005.

Devido ao fato de o Dr. Kelley ter obtido, de modo inacreditável, uma taxa de cura tão alta para câncer, muito, muito mais alta do que a da Medicina Ortodoxa, você talvez deseje saber por que a comunidade médica ortodoxa não estuda o tratamento do Dr. Kelley para ver se há maneiras de melhorá-lo.

Em outras palavras, por que a comunidade ortodoxa não usa o tratamento do Dr. Kelley para obter uma taxa de cura rápida e imediata de 90% nos novos pacientes com câncer, e então procura maneiras de melhorá-la para obter taxas de cura ainda mais altas? Por que eles estão satisfeitos com uma taxa de cura de 3% quando há tratamento publicamente disponível que possui 90% de taxa de cura em pacientes novos?

Depois de ler a Parte 2 desse artigo, a resposta a essa pergunta tornar-se-á óbvia.

Embora o tratamento metabólico de Kelley seja perfeitamente capaz de curar o câncer de uma pessoa, eu devo dizer que ele não é aconselhável como tratamento principal para alguém que foi submetido à quimioterapia. Alguns tratamentos mais novos não dependem da recuperação do sistema imunológico para que funcionem completamente, assim eles são, muito mais eficazes em pacientes que tiveram seu sistema imunológico comprometido pela quimioterapia.

Questão no. 3

Questão no. 3: Preencha os espaços em branco: “numa revisão de 206 estudos com humanos, [qual alimento] consistentemente emergiu como um dos melhores contra o câncer.”

Resposta: Aqui está a transcrição completa: “numa revisão de 206 estudos com humanos, a cenoura emergiu consistentemente como um dos alimentos mais importantes na luta contra o câncer. O poder das cenouras está num grupo de pigmentos chamado carotenóide (beta-caroteno está nesse grupo), que lhes dá a cor laranja..”

Embora seja excelente que os cientistas tenham feito essa descoberta, cenouras foram usadas para curar câncer muito antes de qualquer dos 206 estudos com humanos referidos no texto transcrito. Os sucos de vegetais crus, com cenouras cruas como o principal ingrediente, acompanhados de uma dieta vegan personalizada, como substituição da dieta ocidental centrada em carnes e lácteos, tem curado muitos, muitos milhares de pessoas com câncer.

Devo acrescentar que o suco de cenoura é o principal ingrediente do suco vegetal que é servido como coração da “dieta de alimentos crus”, para o qual há um artigo neste website.

Questão no. 4

Questão no. 4: Quantas descobertas de Prêmio Nobel (e quando elas foram outorgadas) a Dra. Johanna Budwig usou para ajudá-la a desenvolver o tratamento com o óleo de linhaça (ômega 3) / queijo cottage (proteínas sulfúricas)?

Resposta: Dois prêmios Nobel, Dr. Otto Warburg (1931) e Dr. Albert Szent-Gyorgyi (1937). Primeiramente, Dr. Warburg:

O Dr. Otto Warburg, duas vezes laureado com o Prêmio Nobel, foi capaz de provar que câncer não consegue crescer num ambiente cheio de oxigênio. Ele afirma: ‘Câncer, acima de todas as doenças, possui inúmeras causas secundárias, mas, há somente uma causa principal: a causa primeira do câncer está na reposição das células normais de respiração de oxigênio do corpo pela respiração anaeróbica’. Em outras palavras, falta de oxigênio. Sua pesquisa revelou que quando falta a uma célula 60% do oxigênio normal por ela requerido, ela desvia para um mecanismo de fermentação e cresce sem controle.
http://www.internethealthlibrary.com/Therapies/OxygenTherapy.htm

Segundo, o Dr. Szent-Gyorgyi:

O Dr. Szent-Gyorgy recebeu o Prêmio Nobel em 1937 por descobrir que os ácidos graxos essenciais combinados com proteínas ricas em enxofre (tais como as encontradas nos produtos lácteos) aumentam a oxigenação do corpo.
http://www.healingdaily.com/conditions/cancer-prevention-measures.htm

Note que esses prêmios Nobel foram outorgados na década de 30 do século passado. O Dr. Budwig desenvolveu uma dieta para combinar essas duas descobertas num plano de tratamento – óleo de linhaça e queijo cottage. Seu tratamento curou incontáveis milhares de pacientes com câncer.

Questão no. 5

Questão no. 5: É um absurdo pensar que uma pessoa possa se curar de câncer simplesmente mudando a sua dieta. Somente profissionais podem curar câncer. Verdadeira ou falsa?

Resposta: Vou citar o especialista em Medicina Alternativa, Walter Last:

Para mostrar como simples métodos naturais podem ser muito eficazes em vencer o câncer avançado, eu gostaria de mencionar um exemplo do O alimento é a saúde do homem ocidental (The Food and Health of Western Man) do Dr. J. L. Mount. Em cinco casos reportados de câncer de intestino, a cirurgia revelou que metástases já estavam espalhadas por todo o corpo. Portanto, esses pacientes foram fechados novamente e encaminhados para casa, para morrer. No entanto, ao invés de fazer isso, independentemente um do outro, esses cinco pacientes mudaram suas dietas e daí por diante só comeram alimentos cultivados organicamente, em casa. Quando eles finalmente morreram, 21 a 30 anos mais tarde, nenhum traço de câncer foi encontrado nos exame post-mortem. Tais curas sem intervenção médica são consideradas como remissões espontâneas.
http://www.mrbean.net.au/~wlast/cancerintroduction.html

A vasta maioria dos pacientes com câncer que sofreram de “remissão espontânea” efetuou mudanças enormes nas suas dietas, depois de terem sido diagnosticados com câncer.

Foi feito um estudo com 200 pacientes com câncer que haviam experimentado a “remissão espontânea.” Os médicos chamaram essas remissões de “milagres”. Elas NÃO são milagres. Aqui está como eles fizeram. Oitenta e sete por cento deles mudou fundamentalmente de dieta – principalmente para a vegetariana. Todos os 200 realizaram mudanças nas suas vidas, inclusive suplementação nutricional e técnicas de desintoxicação. O que esse e outros estudos estão nos dizendo é que câncer pode ser curado por mudar fundamentalmente a química que o criou.
Raymond Francis (http://www.aidsinfobbs.org/articles/quilty/q02/732)

Aqui está outro texto interessante:

Um estudo de 400 casos de câncer que entraram em “remissão espontânea” revelaram curas que tinham pouco em comum. Algumas pessoas tomaram suco de uva ou tomaram doses maciças de vitamina C; outras oraram, tomaram remédios de ervas, ou simplesmente se encorajaram. Esses pacientes tão diversos tiveram, entretanto, uma coisa em comum. Num certo ponto da evolução da doença, eles repentinamente sabiam, com total certeza, que eles iriam melhorar, como se a doença fosse simplesmente uma miragem, e o paciente de repente passasse além dela, para um espaço onde o medo e desespero e toda a enfermidade fosse inexistente.
http://www.paksearch.com/globe/1999/April/HIGHER.html

Enquanto seja verdade que muitas pessoas entram em remissão espontânea mudando dramaticamente suas dietas e atitudes, imagine o que aconteceria se fosse dito aos pacientes com câncer recém diagnosticados:

  1. Quais os alimentos que contém a maioria dos nutrientes que matam o câncer,
  2. Quais os alimentos que contêm os melhores nutrientes para fortalecer o sistema imunológico,
  3. Quais os alimentos que alimentam as células cancerosas fazendo, assim, com que elas cresçam mais rapidamente (esses alimentos devem ser evitados),
  4. Os melhores suplementos para matar células cancerosas e fortalecer o sistema imunológico, e fosse dito
  5. Quais as coisas na vida da pessoa que podem danificar um plano de tratamento natural (por exemplo, cloro na água potável)?

Por exemplo, uma mudança para uma dieta vegan não necessariamente cura câncer, mas indo para uma dieta vegan seletiva e comendo somente os vegetais e frutas que sabidamente contêm grandes quantidades de nutrientes matadores de câncer, evitando aqueles que alimentam o câncer e deixando de comer alimentos que interferem com a eficácia dos alimentos que combatem o câncer, produziria uma taxa de cura muito mais alta do que qualquer tratamento ortodoxo, melhor até do que a terapia com vitamina C. Entretanto, a Medicina Alternativa pode fazer muito melhor até do que esse protocolo seletivo vegan.

Um teste rápido sobre tratamento ortodoxo de câncer

Agora vamos testar seu conhecimento sobre Medicina Ortodoxa. Primeiramente, precisamos definir um termo:

Definição: vida total O tamanho do período de tempo entre o diagnóstico de câncer e a morte do paciente com câncer, seja a morte pelo câncer, seja morte pelo tratamento de câncer ou seja morte por qualquer outra causa. Isso também é chamado “tempo de sobrevida”.

Questão no. 1: A quimioterapia e a radioterapia colocam as pessoas em “remissão”. Colocar pessoas em remissão prova que a “vida total” (veja definição anterior) de uma pessoa é significativamente aumentada pelo uso da quimioterapia e da radioterapia. Verdadeira ou falsa?

Questão no. 2: Se um paciente com câncer vive 5 anos depois do diagnóstico, a Medicina Ortodoxa considera que ele está “curado” do câncer. Esse conceito é matematicamente equivalente ao conceito de “vida total”?

Questão no. 3: A FDA nunca aprovaria uma droga de quimioterapia a não ser que fosse provado cientificamente, sem qualquer dúvida, que a droga estende significativamente a “vida total” de um paciente com câncer. Verdadeiro ou falso?

Questão no. 4: Dentre milhares de estudos científicos sobre quimioterapia, há evidência científica maciça de que a quimioterapia estende a “vida total” dos pacientes com câncer comparativamente àqueles que recusam qualquer tratamento. Verdadeiro ou falso?

Questão no. 5: Os proponentes ortodoxos clamam que, para certos tipos de câncer, “as taxas de cura” aumentaram nos últimos 10 ou 20 anos. Eles clamam ser esta outra prova de que os tratamentos ortodoxos são superiores aos tratamentos alternativos. Você concorda?

Agora as respostas.

Questão no. 1

Questão no. 1: A quimioterapia e a radioterapia colocam as pessoas em “remissão”. Colocar pessoas em remissão prova que a “vida total” (veja definição anterior) de uma pessoa é significativamente aumentada pelo uso da quimioterapia e da radioterapia. Verdadeira ou falsa?

Resposta: As pessoas igualam o conceito de “remissão” ao conceito de “cura”. Tecnicamente, “remissão” significa nada mais que o desaparecimento de um ou mais sintomas do câncer (isto é, destruindo um tumor pode colocar um paciente em “remissão”). Entretanto, mesmo que, por exemplo, o tumor seja destruído e a pessoa seja considerada em “remissão”, podem ainda existir muitas áreas de células concentradas de câncer no corpo. Assim, a pessoa pode ainda potencialmente possuir áreas de câncer no seu corpo e ainda ser considerada como estando em “remissão”.

Nunca houve prova científica de que geralmente tratamento de sintomas esteja relacionado a uma “vida total” mais longa. Em outras palavras, nunca houve prova científica de que o conceito de remover “sintomas” e o conceito de aumentar a “vida total” estivesse relacionado. Realmente, a “vida total” dos pacientes com câncer praticamente não mudou nos últimos 80 anos, apesar das muitas melhoras nos tratamentos dos sintomas.

Além disso, enquanto muitas pessoas vão de fato para remissão, em alguns tipos de câncer, mais de 90% das pessoas que vão à remissão sairão da remissão (o que é chamado “regressão”) e irão morrer de câncer. “Vida Total” tem a ver com a morte final do paciente, não com o tratamento dos sintomas de câncer. Veja esse texto:

Câncer de ovário normalmente é detectado num estágio avançado e, como tal, é um câncer dos mais mortais e difíceis de tratar. A terapia pode erradicar os tumores, mas, a maioria das pacientes sofre recaída dentro de dois anos…. Normalmente,quando uma mulher é diagnosticada com câncer de ovário, ela se submete à cirurgia para ter os tumores removidos. Os ovários, tubos falopianos, útero e partes do intestino são também frequentemente retirados. A quimioterapia é feita em seguida à cirurgia, e aproximadamente 90% das pacientes vão, então, para “remissão”, um período de “espera vigilante”. “O problema é que nos 5 a 10 anos seguintes, 90% das mulheres irão ter recidiva e morrer,” diz Berek. Quando o câncer retorna em outro tecido das vizinhanças, é mais virulento e resistente à quimioterapia.
Disponível em: http://www.azcentral.com/health/women/articles/0618ovarian.html

É claro que o câncer que “retornou” é mais mortal do que o câncer original, o sistema imunológico da pessoa foi destruído enquanto ela tratava dos sintomas do primeiro câncer. O câncer pode nunca ter deixado o paciente. Uma vez que a quimioterapia danificou o sistema imunológico, o paciente está muito mais vulnerável ao câncer.

Um termo ainda mais decepcionante entrou no vocabulário da Medicina Ortodoxa. O termo é “resposta.” De novo, as pessoas igualam o termo “resposta” ao termo “cura”. Esse novo termo onipresente é ainda mais decepcionante do que o termo “remissão”. O que significa “resposta”? Significa somente que o tumor encolheu um pouco. Só isso.

A Medicina Ortodoxa quer que os pacientes pensem que o tumor é o câncer e o tamanho do tumor equivale ao câncer estar curado. Isso é uma besteira total. É um truque inteligente para evitar a questão da “vida total”. Ao invés de estender a vida total dos pacientes, eles estendem seus vocabulários para serem mais e mais decepcionantes.

Questão no. 2

Questão no. 2: Se um paciente vive 5 anos depois do diagnóstico, a Medicina Ortodoxa considera que ele está “curado” do câncer. Esse conceito é matematicamente equivalente ao conceito de “vida total”?

Resposta: Pressupõe-se que o conceito de “cura” (significando pacientes que sobrevivem 5 anos depois do diagnóstico) é equivalente ao conceito de “vida total”. Considere duas companhias fabricantes de automóveis, Companhia B e Companhia G. Vamos definir a “vida total” dos carros dessas companhias fabricantes como o número de milhas que o carro anda antes de o motor morrer definitivamente e ter de ser trocado. Suponha que a “vida total” dos carros da Companhia B seja de 100.000 milhas e suponha que a “vida total” dos carros da Companhia G seja de 300.000 milhas.

Claramente, a Companhia G faz carros muito melhores. Como podem os executivos da Companhia B fazer parecer que os motores dos seus carros são tão bons quanto os motores da Companhia G? Eles podem mentir com estatísticas.

Por exemplo, e se a Companhia B fez um estudo sobre a porcentagem de motores dos carros da Companhia B e a porcentagem de motores dos carros da Companhia G que ainda estavam funcionando depois de 30.000 milhas? Ambas as companhias pareceriam muito boas e você não poderia dizer qual delas era a melhor. Mas se o estudo fosse baseado na porcentagem de motores de carros da Companhia B e na porcentagem de motores de carros da Companhia G que ainda estivessem funcionando depois de 250.000 milhas, a verdade sobre a inferioridade dos motores dos carros da Companhia B ficaria óbvia.

Se o “ponto de referência” for cuidadosamente escolhido para estar bem abaixo da média, qualquer companhia parecerá boa.

Assim é exatamente como a Medicina Ortodoxa mente com estatística. Uma “taxa de cura” baseada num paciente que vive cinco anos é como o teste de motor depois de 30.000 milhas – não tem sentido. O “ponto de referência é extremamente baixo”. “Taxas de cura” deveriam estar baseadas na “vida total” e nada mais. Por exemplo, alguns cânceres crescem muito vagarosamente. A “taxa de cura” para esses cânceres é muito alta, quando de fato uma “taxa de cura” de 15 anos mostraria o quão pobres são os tratamentos para alguns desses tipos de câncer.

Questão no. 3

Questão no. 3: A FDA nunca aprovaria uma droga para a quimioterapia a não ser que fosse provado cientificamente, sem qualquer dúvida, que a droga estende significativamente a “vida total” de um paciente com câncer. Verdadeiro ou falso?

Resposta: A FDA nunca aprovou uma droga para a quimioterapia que tenha mostrado aumentar significativamente a “vida total” de um paciente com câncer. As drogas da quimioterapia são aprovadas com base no tratamento dos sintomas de câncer, não nas taxas de “cura total”. A eficácia das drogas para a quimioterapia está geralmente baseada em quão bem uma nova droga trata os sintomas, comparada somente com como outras drogas para a quimioterapia agem no tratamento desses mesmos sintomas!

Além disso, quando uma droga para a quimioterapia é aprovada por “estender a vida”, a aprovação também é feita com base na comparação de uma droga para a quimioterapia (ou combinação de drogas) com outra droga para a quimioterapia (ou combinação de drogas).

Uma vez conseguida a aprovação da primeira droga para a quimioterapia (para tratar sintomas), então todas as futuras drogas podem ser aprovadas comparando-as com as drogas anteriores para “estender a vida” ou tratar sintomas.

Nunca, nunca, nunca, uma droga para a quimioterapia foi aprovada por um estudo comparando o uso da droga num grupo de pacientes com um grupo de pacientes que tenha recusado tratamentos (nos arquivos da FDA), e nenhum estudo jamais foi feito comparando quimioterapia com algum dos melhores tratamentos alternativos de câncer (num arquivo da FDA).

Nós temos uma indústria multibilionária que está matando as pessoas, a torto e a direito, somente por ganhos financeiros. A idéia de pesquisa deles é verificar se duas doses desse veneno é melhor do que três doses daquele veneno.
Dr. Glen Warner, médico oncologista

Agora, uma pessoa pode pensar que seria antiético comparar uma droga para a quimioterapia com aqueles que recusam se tratar. Se uma pessoa recebesse placebo secretamente, aí talvez fosse antiético. Entretanto, há muitas pessoas que voluntariamente se recusam a se submeter aos tratamentos ortodoxos que poderiam ser usadas num estudo para comparar um plano de tratamento com quimioterapia com aqueles que recusam se tratar.

Questão no. 4

Questão no. 4: Dentre milhares de estudos científicos sobre quimioterapia, há evidência científica maciça de que a quimioterapia estende a “vida total” dos pacientes com câncer comparativamente àqueles que recusam qualquer tratamento. Verdadeiro ou falso?

Resposta: O texto seguinte responde a essa pergunta:

O professor Hardin B. Jones, Ph.D., declarou:

Meus estudos têm provado conclusivamente que vítimas não tratadas de câncer vivem até quatro vezes mais tempo do que indivíduos tratados. Se alguém tem câncer e opta por não fazer nada, de forma alguma, ele viverá mais e se sentirá melhor do que se ele se submeter à radiação, quimioterapia ou cirurgia …
Prof. Jones (1956 Transactions of the N.Y. Academy of Medical Sciences, vol. 6)
veja também: http://www.sickofdoctors.addr.com/articles/medicalignorance.htm

Considere agora esse texto:

Em 1975, a respeitada revista médica britânica Lancet reportou um estudo que comparou o efeito em pacientes com câncer, de: (1)uma única quimioterapia, (2) quimioterapia múltipla, e (3) nenhum tratamento.Nenhum tratamento provou ser uma política significativamente melhor para a sobrevivência dos pacientes e para qualidade da vida remanescente
Barry Lynes, A Cura do Câncer – As curas – os encobrimentos da verdade e a solução agora!, p.9 (The Healing of Cancer – The Cures – the Cover-ups and the Solution Now!)

E esse texto:

Um epidemiologista alemão da Clínica de Tumor Heidelberg/Mannheim, Dr. Ulrich Abel, realizou uma revisão completa e análise de todo estudo importante e experimentos clínicos de quimioterapia, nunca antes feitos. Suas conclusões deveriam ser lidas por qualquer pessoa que está prestes a embarcar no Expresso Quimio. Para se assegurar de que ele havia revisto tudo que havia sido publicado sobre quimioterapia, Abel enviou cartas a mais de 350 centros médicos ao redor do mundo, pedindo-lhes que lhe enviassem qualquer coisa que houvessem publicado sobre o assunto. Abel pesquisou milhares de artigos: é improvável que alguém no mundo saiba mais sobre quimioterapia do que ele.

A análise levou vários anos, mas, os resultados foram assombrosos: Abel descobriu que o índice de sucesso mundial da quimioterapia era ‘aterrorizante’ porque simplesmente não havia nenhuma evidência científica disponível, em qualquer lugar, de que a quimioterapia pode estender de qualquer modo apreciável as vidas dos pacientes que sofrem dos tipos mais comuns de câncer orgânico'. Abel enfatiza que a quimioterapia raramente pode melhorar a qualidade de vida. Ele descreve quimioterapia como uma ‘terra improdutiva científica’ e declara que pelo menos 80 por cento da quimioterapia administrada no mundo é inútil e é parecido com as novas roupas do imperador – nem o médico e nem o paciente está desejando desistir da quimioterapia, mesmo embora não haja evidência científica de que ela funcione! (Lancet, 10 August 1991) Ninguém da mídia dominante jamais mencionou esse estudo abrangente: ele foi totalmente enterrado.
Tim O'Shea, The Doctor Within

Três estudos importantes chegaram à mesma conclusão: os “tratamentos ortodoxos de câncer” não estendem a “vida total” dos pacientes com câncer. De fato, em muitos casos, eles encurtam a “vida total” dos pacientes com câncer.

Aqui está uma citação profética sobre o futuro da quimioterapia e da radioterapia:

Daqui a vinte anos olharemos para a quimio e radioterapia como [se fossem] tão bárbaras quanto o uso de sanguessugas,
Steve Millett, diretor de previsões de tecnologias da Battelle

Questão no. 5

Questão no. 5: Os proponentes ortodoxos clamam que para certos tipos de câncer, “as taxas de cura” aumentaram nos últimos 10 ou 20 anos. Eles clamam ser esta outra prova de que os tratamentos ortodoxos são superiores aos tratamentos alternativos. Você concorda?

Resposta: Sim, algumas “taxas de cura” aumentaram. Essa é a decepção mais danosa de todas.

Suponha que a Companhia B realize pequenos melhoramentos nos seus motores e a “vida total” dos seus motores aumente de 100.000 para 102.000 milhas. Devido a isso, suponha que a porcentagem dos seus motores que duram 30.000 milhas aumenta de 92% para 93%.

Agora imagine que o che do setor executivo (CEO – chief executive officer) da Companhia B faz o seguinte anúncio:

“A porcentagem dos nossos motores de carro que duram 30.000 aumentou de 92% para 93%. Isso prova que os carros da Companhia B duram mais do que os carros da Companhia G.”

O CEO está certo? É claro que não, os motores da Companhia G ainda duram 300.000 milhas e os da Companhia B duram apenas 102.000. Essa reivindicação é um absurdo. O que o executivo da Companhia B fez foi comparar os carros “velhos” da Companhia B aos carros “novos” da Companhia B. O CEO não comparou a “vida total” dos carros da Companhia B à “vida total” dos carros da Companhia G.

Isso é exatamente o que a FDA faz. Quando a Medicina Ortodoxa diz que as “taxas de cura” subiram, eles estão comparando suas “velhas” estatísticas de 5 anos de quimioterapia com suas “novas” estatísticas de 5 anos de quimioterapia . Eles não estão comparando a “vida total” dos tratamentos ortodoxos à “vida total” dos tratamentos alternativos ou mesmo a “vida total” daqueles que recusam tratamentos.

A Medicina Ortodoxa está continuamente “melhorando” seus tratamentos, todos com um espalhafatoso alarde de publicidade. Suas taxas de cura estão sempre “subindo” e a cura está sempre “dobrando a esquina”. Mas vejamos de outra maneira. A Companhia B pode melhorar seus motores para durar 102.000, e 5 anos mais tarde ela pode melhorá-las para 104.000 e 5 anos mais tarde para 106.000, e assim por diante. Nesse meio tempo, as pessoas que compraram carros da Companhia G têm carros que duram 300.000, então 5 anos mais tarde 305.000, então 5 anos mais tarde 310.000, e assim por diante. Assim, quando a Companhia B vai alcançar a Companhia G? Nunca.

Essa decepção sofisticada pode ser anda mais aprofundada. As “taxas de cura” irão subir se o câncer é diagnosticado mais cedo! Em outras palavras, se a Sociedade Americana de Câncer convence as mulheres a fazerem mamografias (que são carcinogênicas, a propósito) mais frequentemente, seus cânceres de mama serão diagnosticados mais cedo, na média, e a “taxa de cura” para câncer de mama subirá! A taxa de cura não subiu devido a uma melhora na quimioterapia ou radioterapia, mas porque as mulheres fizeram mamografias carcinogênicas mais frequentemente!

Há muitas maneiras de manipular “taxas de cura” da Medicina Ortodoxa. Meu e-book online gratuito, trata com muito mais detalhe dessa questão.

Na verdade, a diferença entre a “vida total” dos tratamentos alternativos de câncer e os tratamentos ortodoxos de câncer é maior do que a diferença entre os carros da Companhia G e os carros da Companhia B. O estudo Cameron/Pauling provou que embora a terapia com vitamina C de Cameron/Pauling não seja um dos melhores tratamentos alternativos correntes de câncer, há novas terapias com vitamina C que está entre os melhores tratamentos.

A Medicina Ortodoxa, usando definições sofisticadas e estatísticas enganosas, convenceu o público a acreditar que os tratamentos ortodoxos de câncer prolongam a “vida total” dos pacientes. Mas não há evidência científica para essa crença!

Quero enfatizar que essas fraudes não foram desenvolvidas por pessoas ignorantes que não sabiam o que estavam fazendo. Elas são fraudes estatísticas cuidadosamente construídas combinadas com terminologia enganosa cuidadosamente escolhida! Uma pessoa normal pensaria automaticamente em “vida total”, mas os números sobre “vida total” são cuidadosamente escondidos. Mais será dito, adiante, nesse artigo, sobre aqueles que fraudam.

Vamos contar como

Há algumas coisas nos textos citados anteriormente que podem tê-lo(a) chocado. O conceito de que as pessoas vão morrer mais rapidamente se se submeterem à cirurgia, quimioterapia e radioterapia pode surpreender algumas pessoas. Como é possível que as pessoas que se submetem a esses tratamentos possam morrer mais rápido do que as pessoas que recusam tratamentos?

De fato, há muitas maneiras pelas quais os tratamentos ortodoxos de câncer podem matar um paciente com câncer muito antes do que eles morreriam sem tratamento de nenhum tipo. Por exemplo:

  • Subnutrição: cerca de 40% dos pacientes com câncer morrem de subnutrição antes de morrerem dos seus cânceres. Duas das causas dessa subnutrição, que estão relacionadas à quimioterapia, serão discutidas agora: primeiro, a quimioterapia torna a pessoa muito nauseosa e faz com que ela vomite. Isso faz com que as pessoas “..desenvolvam anorexia – a perda de apetite ou desejo de comer. Essa situação não é boa de modo algum porque pode levar à uma condição conhecida como câncer “caquexia” – uma síndrome debilitante caracterizada por fraqueza e uma perda notável de peso, gordura e músculos.” Caquexia é uma causa comum de morte de pacientes com câncer.
  • Subnutrição: Segundo, a quimioterapia destrói o revestimento do trato digestivo de muitos pacientes com câncer, tornando impossível para o corpo absorver os nutrientes dos alimentos que comem, levando à subnutrição. Como se diz, mesmo que o paciente com câncer coma feito um rei, ele pode literalmente morrer de subnutrição.
  • Destrói o sistema imunológico: Devido ao fato de a quimio e a radioterapia destruírem o sistema imunológico do paciente, muitos pacientes com câncer morrem de infecções oportunistas, tais como septicemia ou pneumonia. Como uma nota à parte, mais de 200.000 norte-americanos morrem de septicemia, por ano.

Quando um paciente morre de septicemia é mais provável que seja porque a quimioterapia destruiu o sistema imunológico do paciente, permitindo que a septicemia facilmente mate o paciente. Pode ser que seja computada como uma morte por septicemia, não uma morte por câncer. Essa é apenas uma das maneiras da comunidade médica poder esconder as verdadeiras estatísticas da quimio e da radioterapia.

  • Destrói o sistema imunológico: devido ao fato de a quimio e a radioterapia matarem as células brancas (as células brancas são a defesa natural do corpo contra o câncer), a quimio e a radioterapia destroem não somente a defesa natural do corpo contra o câncer atual dos pacientes, elas também destroem a defesa do corpo contra novos cânceres.
  • Destrói células vermelhas do sangue: devido a fato de a quimio e a radioterapia matarem as células vermelhas do sangue (que transportam oxigênio às células cancerosas e o oxigênio evita que o câncer se espalhe), as células cancerosas não conseguem um suprimento normal de oxigênio. Sendo as células cancerosas anaeróbicas, isso lhes permite florescer e se dividir mais rápido.

    Assim, se um paciente com câncer já é acidífero e se acidífero expulsa o oxigênio criando uma atmosfera anaeróbica que o câncer ama, qual é o sentido de se submeter à quimioterapia que irá matar mais do seu oxigênio que carregam as células vermelhas do sangue? Por um problema de dedução e o uso de senso comum mais uma vez, isso não criaria uma atmosfera ainda mais anaeróbica e criaria uma situação ainda mais desejável para o câncer dar largada à destruição? http://www.polymvasurvivors.com/what_you_know_4%20Corners%20Protocol. html

  • Mata um Órgão Vital: A quimio e a radioterapia frequentemente matam um órgão vital do paciente, tais como o fígado ou coração. Uma vez que isso acontece sem um transplante, nada, nem mesmo tratamentos alternativos podem salvar o paciente.
  • Ajuda a Espalhar o Câncer: Biópsias cirúrgicas podem liberar células cancerosas na corrente sanguínea, criando a possibilidade de a biópsia fazer o câncer se espalhar, ou seja, espalhar-se por metástase. Algumas cirurgias de câncer podem fazer com que as células cancerosas entrem na corrente sanguínea, particularmente se a cirurgia não “alcança” todas as células cancerosas.
  • A quimioterapia é carcinogênica: a quimio e a radioterapia podem aumentar dramaticamente a probabilidade de uma pessoa adquirir certos tipos de câncer. Por exemplo, muitas mulheres com câncer de mama, tratadas com quimio e radioterapia desenvolvem, mais tarde, câncer no útero. As drogas de quimioterapia não são somente tóxicas, elas são carcinogênicas.
  • Perda da Vontade de Viver: Muitos pacientes com câncer ficam tão devastados pelos enjôos e náuseas causados pelos tratamentos ortodoxos, que eles perdem a vontade de viver, o que significa que eles perdem a vontade de lutar contra o câncer.

Agora, vocês estão surpresos com o fato de os três estudos mencionados anteriormente chegarem à mesma conclusão: não há evidência científica de que os tratamentos ortodoxos prolongam a “vida total” da maioria dos pacientes com câncer?

A lista acima é apenas uma pequena lista dos efeitos colaterais dos tratamentos ortodoxos. Se você quer um quadro mais complete de quão ruins são os tratamentos ortodoxos assista ao videotape “Câncer não me assusta mais” (Cancer Doesn't Scare Me Anymore” da médica Dra. Lorraine Day, disponível em muitas lojas de produtos naturais ou no: Dr. Day's website

Eu devo mencionar que os tratamentos alternativos de câncer não possuem nenhum dos problemas acima mencionados. Os tratamentos alternativos de câncer geralmente incluem itens relativos a dieta que fortalecem o sistema imunológico da pessoa, não causam dor, suprem grandes quantidades de nutrientes naturais, não espalham o câncer, seletivamente atingem e matam células cancerosas, não causam danos às células normais, e assim por diante.

Julgando os tratamentos ortodoxos de câncer

Como podemos julgar se os tratamentos ortodoxos de câncer não deveriam ser usados de modo algum?

Todo mundo sabe que a cirurgia, a quimio e a radioterapia tornam o paciente mais doente, causam danos maciços ao sistema imunológico podem danificar órgãos vitais etc. Como, então, podemos justificar o uso desses três tratamentos? Eu sugiro que nós “julguemos” a Medicina Ortodoxa com base em três critérios importantes:

  • Primeiro, o aumento da “vida total” do paciente com o uso do tratamento,
  • Segundo, o dano feito ao sistema imunológico do paciente, que causa uma fraqueza severa na capacidade da pessoa de lutar contra o câncer atual, mais a capacidade dela de lutar contra cânceres futuros, e
  • Terceiro, a perda da “qualidade de vida” do paciente.

A Medicina Ortodoxa fracassa em todas as três dessas categorias. Primeiro, não há evidência científica de que, na vasta maioria dos cânceres, os tratamentos ortodoxos prolonguem a “vida total” dos pacientes. Segundo, o dano feito ao sistema imunológico do paciente é muito grave, além de matar muitas células vermelhas do sangue e poder danificar órgãos vitais. Terceiro, os tratamentos ortodoxos não somente causam trauma grave ao paciente, mas eles também podem causar danos severos e estresse aos seus corpos.

Suponha que eu tenha feito a declaração: “Para justificar o dano feito pela Medicina Ortodoxa, ao corpo e à qualidade de vida de um paciente de câncer, a Medicina Ortodoxa deve aumentar a “vida total” do paciente em 30%”.

Algumas pessoas podem não gostar da porcentagem 30%, eles podem escolher 20% ou outra pessoa pode escolher 100%. Qualquer que seja a porcentagem que você escolhe, observe que não há evidência científica de que, em 97% dos casos, os tratamentos ortodoxos prolonguem a “vida total” dos pacientes em um minuto sequer. De fato, na maioria dos casos, a Medicina Ortodoxa encurta a vida dos pacientes!

A porcentagem 97% vem de um especialista em câncer, Ralph Moss, Ph.D., que pôde identificar somente poucos tipos muito raros de câncer para os quais ele achou que os tratamentos ortodoxos realmente prolongaram a “vida total” dos pacientes com câncer.

2 a 4% dos cânceres respondem à quimioterapia…O básico de tudo isso é que para uns poucos tipos de câncer a quimio é um procedimento de prolongamento de vida — a Doença de Hodgkin, Leucemia Linfócito Aguda (Acute Lymphocytic Leukemia – ALL), câncer de testículo, e coriocarcinoma.
Ralph Moss, Ph.D. 1995 Autor de: Questionando a Quimioterapia (Questioning Chemotherapy)

Na realidade, é muito duvidoso que os pacientes com Doença de Hodgkin tenham suas vidas prolongadas por mais do que poucos anos. De qualquer modo, como nós podemos “justificar” o uso de tratamentos de câncer ortodoxos? Não podemos em 97% dos casos. Mesmo para os 3% que são beneficiados pode haver tratamentos alternativos que são melhores até do que quimioterapia.

Qual é exatamente o significado da cifra 97% que o Dr. Moss, e muitos outros, calcularam? O significado é que A “TAXA VERDADEIRA DE CURA” PARA OS TRATAMENTOS ORTODOXOS DE CÂNCER É DE 3%!

Em outras palavras, sempre que você vir uma taxa de cura geral para a Medicina Ortodoxa mais alta do que 3%, é um número gerado inteiramente por truques estatísticos enganosos. Compare os 3% de taxa de cura REAL da Medicina Ortodoxa com a taxa de cura real de 93% do Dr. Kelley, para aqueles pacientes que o procuraram EM PRIMEIRO LUGAR (significa que eles não procuraram a Medicina Ortodoxa antes de o procurarem).

Então se pergunte por que a FDA aprova uma droga de quimioterapia atrás da outra e ainda ignora os tratamentos alternativos de câncer. DEUS É UM CHARLATÃO? Não, mas “cientistas” modernos são charlatões e a FDA só dará ouvidos aos modernos “cientistas” charlatões.

Também se pergunte por que, a cada ano, mais pessoas morrem de câncer do que morreram no ano anterior. Pergunte-se se todos esses “progressos” nas drogas que você ouve falar toda semana realmente muda aquela cifra de 3% (resposta: elas nunca mudam, eles estão sempre comparando uma droga sem valor com uma droga sem valor mais nova, mais lucrativa e eles estão conversando somente sobre sintomas ou regressão temporária).

Agora se pergunte se a taxa VERDADEIRA de cura de 3% justifica a pesada dor e sofrimento dos pacientes de câncer ortodoxos e se justifica o pesado dano causado aos seus órgãos, sistema imunológico, células vermelhas do sangue etc.

Aqui estão imagens de um pingo acidental de uma droga de quimioterapia na mão de uma pessoa. Tenha em mente que essa é a substância que eles colocam nos vasos sanguíneos da pessoa!
http://www.ricmasten.com/PCaOdyssey/Prostate%20spill%20page.html

Mais sobre a “Taxa de cura de 5 anos”

Quando você vê um gráfico da Medicina Ortodoxa “taxas de cura de 5 anos,” você pode ver um número como: 45%, significando 45% dos pacientes com câncer para esse tipo particular de câncer viveram 5 anos depois do diagnóstico.

Há muitos truques estatísticos que são usados para se conseguir a cifra de 45%, mas mesmo se esse número fosse correto (o que não é), ainda assim não teria valor algum. Vou explicar por quê.

Quando você vê um número como 45% espera-se que você tenha em mente esse pensamento: “A taxa de cura, para aqueles que recusam todos os tratamentos ortodoxos e recusam todos os tratamentos alternativos, é 0%.” Isso é o que eles querem que você pense.

Em outras palavras, eles querem que você pense que a diferença entre recusar todos os tratamentos e usar a quimioterapia etc., é de 45%. Espera-se que você pense: “uma “taxa de cura de 5 anos” de 45% da Medicina Ortodoxa, menos um “índice de cura de 5 anos” de 0% daqueles que recusam todos os tratamentos, é igual a uma diferença de 45%.” Espera-se que você pense que os tratamentos ortodoxos são soberbamente benéficos porque são 45% eficazes.

Mas qual é a verdade? E se o “índice de cura de 5 anos” para aqueles que recusassem todos os tratamentos fosse 50%? E se esse fosse o caso, aqueles 5% que se submetem aos tratamentos ortodoxos que morreriam antes de 5 anos subiriam, considerando que eles não morreriam se tivessem recusado todos s tratamentos. Essa estatística faz com que as pessoas corram ao hospital mais próximo para fazer quimioterapia? É claro que não.

Meu ponto é que a Medicina Ortodoxa não quer que você conheça a “taxa de cura de 5 anos” para aqueles que recusam todos os tratamentos ” e ela particularmente não quer que você conheça a “taxa de cura de 5 anos” para aqueles que procuram tratamentos alternativos. Mesmo embora haja muitas pessoas que recusam todos os tratamentos, essa estatística não é mantida. Por quê? Porque eles não querem que você saiba que os tratamentos ortodoxos de câncer possuem somente um índice global VERDADEIRO de 3%. O índice geral VERDADEIRO é realmente a diferença entre a Medicina Ortodoxa e quando se recusa todos os tratamentos.

Quando os efeitos colaterais da quimio e da radioterapia são levados em conta, as pessoas exigiriam que os tratamentos ortodoxos fossem pelo menos 15% mais altos, ou mais, do que para aqueles que recusam todos os tratamentos ou procuram tratamentos alternativos de câncer. Mas, em geral, é somente 3% e vale somente para aqueles que recusam tratamento.

Esse número 3% não significa que haveria uma diferença geral de 3% numa base de “taxa de cura de 5 anos” (esse é um tempo muito curto para avaliar tratamentos ortodoxos), significa que quando toda a poeira assenta, somente 3% dos pacientes realmente ficaram curados com os tratamentos ortodoxos.

Esse diferencial de 3% justifica os efeitos colaterais maciços dos tratamentos ortodoxos? Você entendeu, agora, por que a Medicina Ortodoxa usa tantos truques estatísticos?

Definitivamente as estatísticas mais importantes que você precisa conhecer para tomar uma decisão bem informada, são suprimidas e não são mantidas. Por quê? Porque eles não querem que você tome a decisão óbvia de procurar a Medicina Alternativa. Contudo, procurar a Medicina Alternativa requer muito trabalho da sua parte para se ter certeza de procurar os tratamentos alternativos de câncer certos.

Mais será dito sobre a supressão de dados mais tarde.

Mais sobre tratar os sintomas de câncer

O Dr. Philip Binzel, um médico que usou tratamentos alternativos de câncer, discutiu várias questões chaves relativas ao tratamento dos sintomas de câncer. Vamos examinar um dos textos dele:

Quando se descobre um tumor num paciente, a única coisa que o médico discute com aquele paciente é o que ele pretende fazer com o tumor. Se o paciente com um tumor está recebendo radioterapia ou quimioterapia, a única pergunta que é feita é “Como está o tumor?” Ninguém pergunta como está o paciente. No meu treinamento médico, eu me lembro bem de ver pacientes que estavam fazendo radio ou quimioterapia. O tumor ia ficando menor e menor, mas, o paciente ia ficando mais e mais doente. Na autópsia nós ouvíamos, “Não é maravilhoso? O tumor desapareceu!” Sim, ele sumiu, mas, o paciente também sumiu. Quantas milhões de vezes temos de repetir esses cenários antes de nos darmos conta de estar tratando a coisa errada?

Em câncer primário, com apenas algumas exceções, o tumor não é perigoso à saúde e nem uma ameaça à vida. Vou repetir essa afirmativa. Em câncer primário, com apenas algumas exceções, o tumor não é perigoso à saúde e nem uma ameaça à vida. O que é perigoso para a saúde e uma ameaça à vida é a disseminação daquela doença para o resto do corpo.

Não há nada na cirurgia que impeça o câncer de se propagar. Não há nada na radioterapia que impeça a propagação da doença. Não há nada na quimioterapia que impeça a propagação da doença. Como nós sabemos disso? Olhe para as estatísticas! Há uma estatística conhecida como “tempo de sobrevida”. Tempo de sobrevida é definido como o intervalo de tempo entre o momento em que o diagnóstico do câncer de um dado paciente é feito e o momento em que aquele paciente morre da sua doença.

Nos últimos cinqüenta anos, um progresso enorme foi feito no diagnóstico precoce de câncer. Nesse mesmo período, um progresso tremendo ocorreu na habilidade de se retirar tumores. Progresso enorme ocorreu no uso da radio e da quimioterapia no que diz respeito à habilidade de encolher ou destruir tumores. Contudo, o tempo de sobrevivência do paciente com câncer hoje não é maior do que era há cinqüenta anos atrás. O que isso significa? Obviamente isso significa que nós estamos tratando a coisa errada!

Nós estamos tratando o sintoma – o tumor, e não estamos fazendo absolutamente nada para impedir que a doença se espalhe. A única coisa conhecida da humanidade, hoje, que irá impedir que o câncer se espalhe dentro do corpo é o retorno do próprio mecanismo de defesa daquele corpo ao seu funcionamento normal. Isso é o que a terapia nutricional faz. Ela trata do mecanismo de defesa, não do tumor.

A mulher com um caroço no seio não vai morrer por causa dele. O homem com um nódulo na sua glândula prostática não vai morrer por causa dele. O que pode matar essas duas pessoas é a propagação daquela doença pelo resto de seus corpos. Eles adquiriram suas doenças devido a um colapso de seus mecanismos de defesa.

A única coisa que vai impedir a propagação das suas doenças é a correção do problema naqueles mecanismos de defesa. Não é lógico, então, que deveríamos estar muito menos preocupados com “o que nós vamos fazer com o tumor?” e muito mais preocupados com “o que nós vamos fazer com os seus mecanismos de defesa?
Philip Binzel, M.D., Alive and Well, Capítulo 14

Eu quero enfatizar um ponto-chave desse texto. A Medicina Ortodoxa trata sintomas. Eles fazem com que você acredite que o tumor é o câncer. O tumor não é o câncer. O tumor é um sintoma de um sintoma. Um tumor é um sintoma de câncer e câncer é frequentemente um sintoma de um sistema imunológico enfraquecido. É melhor tratar o sintoma do sintoma ou é melhor tratar a causa?

Tratamentos alternativos de câncer focam no fortalecimento do sistema imunológico, seletivamente matando células cancerosas e algumas vezes convertendo células cancerosas em células normais. Tratamentos alternativos de câncer não estão normalmente interessados em encolher tumores. Por quê? Porque se você matar, com segurança, as células cancerosas de um tumor, e por todo o resto do corpo, o tumor se torna tão inofensivo quanto seu dedinho, mesmo se o tecido do tumor ainda estiver lá. Não é o tecido do tumor que é perigoso, mas sim as células com câncer.

E, nesse sentido, é que está uma das maiores diferenças entre a Medicina Ortodoxa e a Medicina Alternativa. A Medicina Ortodoxa foca no tamanho do tumor, a Medicina Alternativa foca nas células com câncer no tumor.

Muitos tratamentos alternativos de câncer encolhem o tamanho do tumor, mas, alguns não. E daí? Se as células com câncer num tumor estão mortas, o câncer não se espalhará e o tumor é inofensivo.

Isso é a que o Dr. Binzel estava se referindo quando disse que a Medicina Ortodoxa estava tratando da coisa errada.

Somente se o tumor estiver pressionando outro órgão, ou estiver bloqueando alguma função corpórea, ele é perigoso. Mas naquele caso o perigo do tumor não tem nada a ver com câncer.

Outra coisa interessante naquele texto é que nada do que a Medicina Ortodoxa faz trata da propagação do câncer. Embora seja verdade que algumas quimioterapias sejam desenhadas para matar rapidamente células espalhadas pelo corpo, elas sempre matam muito mais células normais do que células com câncer. Muitas células normais no corpo estão se espalhando rápido e são mortas pela quimioterapia.

A quimioterapia quase sempre mataria o paciente muito antes do que mataria todas as células do corpo com câncer.

Uma linha cronológica

Vamos desenhar uma linha cronológica nas nossas mentes. No começo dessa linha está a data em que essa pessoa foi diagnosticada com câncer. No final está a data em que essa pessoa atinge a idade de 100 anos.

Vamos colocar uma marca nessa linha cronológica. Essa marca corresponde à data em que esse paciente teria morrido se tivesse recusado todos os tipos de tratamento médico para o seu câncer. Digamos que essa pessoa não fez nada para mudar sua dieta ou para tratar o seu câncer com quaisquer tratamentos de câncer, ortodoxo ou alternativo. Nós vamos chamar essa marca de ponto-base. É o ponto onde a pessoa que recusa tratamento morreria.

Os dados científicos são claros – a vasta maioria dos pacientes ortodoxos de câncer morrerá à esquerda do seu ponto-base ou exatamente nele!

A tecnologia da quimioterapia tem 80 anos. Nunca funcionou, e nunca funcionará porque, como declarou o Dr. Binzel, ela trata da coisa errada. A “pesquisa” moderna em câncer ainda não está objetivando tratar a coisa certa. A radioterapia é ainda mais velha do que a quimioterapia e a cirurgia é ainda mais velha do que a radioterapia.

E os tratamentos alternativos? Os tratamentos alternativos não prejudicam o paciente. Assim, devido ao fato de os tratamentos alternativos desenvolverem o sistema imunológico e seletivamente matarem as células com câncer, é claro que é impossível para tratamentos alternativos jogar um paciente à esquerda da sua linha-base. Tratamentos alternativos tratam a coisa certa – o sistema imunológico. Praticamente todos os tratamentos alternativos de câncer farão a pessoa viver à direita da sua linha-base.

A questão é: como nós usamos tratamentos alternativos para conseguir que uma pessoa viva bem além da linha-base? Ou, dito de outra maneira, como conseguimos fazer com que tratamentos alternativos “curem” câncer, no sentido de que o corpo principal de células com câncer está morto e o sistema imunológico está fortalecido a ponto de poder lidar com novas células com câncer?

Há mais de 100 tratamentos alternativos de câncer que permitirão a mais da metade daqueles que usam aqueles tratamentos, “curar” seu câncer. A combinação de tratamentos irá até mesmo aumentar esse número.

O melhor dos tratamentos alternativos de câncer (que são realmente combinações de vários tratamentos alternativos) facilmente curará mais de 90% daqueles que usam aqueles tratamentos ao invés dos tratamentos ortodoxos. Como mencionado anteriormente, o Dr. Kelley, que tratou 33,000 pacientes com câncer, a maioria dos quais havia se tratado antes com a Medicina Ortodoxa, conseguiu uma taxa de cura de 93%.

Eu estou totalmente convencido, com base na minha extensa pesquisa, de que se a indústria farmacêutica (ou seja, Big Pharma), nossas agências governamentais, a Associação Americana de Câncer, a Associação Médica Americana, etc., pusessem seu dinheiro e esforços na Medicina Natural, não demoraria muito até que 99% de todos os pacientes com câncer não morressem de algo relacionado ao câncer ou tratamentos de câncer, direta ou indiretamente! As pessoas teriam mais medo de uma gripe do que de câncer! Essa é a maneira que deveria ser, mas, não é a maneira que é.

Somente o sistema imunológico da pessoa ou a segurança e eliminação seletiva das células de câncer farão com que a pessoa viva além da linha-base. Os tratamentos ortodoxos destroem o sistema imunológico da pessoa e não eliminam seletivamente as células com câncer, nem eliminam as células com câncer com segurança. A quimioterapia é tóxica e carcinogênica.

Ainda assim, todo o tempo médicos dizem aos seus pacientes algo como: “se você não fizer quimioterapia, você viverá seis meses.” O que isso significa exatamente? Implica que o paciente vai viver mais se ele fizer quimioterapia, do que se ele evitar quimioterapia. Entretanto, não há nenhuma evidência científica de que a quimioterapia, exceto em poucos casos raros de câncer, sequer prolonga a “vida total” de um paciente. Não é nada mais do que uma tática do medo.

O que a Medicina Ortodoxa está escondendo

Suponha que você tem um gráfico onde, para cada tipo de câncer, diagnosticado em cada estágio, há uma lista de planos possíveis de tratamento de câncer, alternativos e ortodoxos, junto com a “vida total” que cada plano fornece a um típico paciente com esse tipo de câncer, que é diagnosticado em cada estágio. Suponha também que essas estatísticas são compiladas por pessoas honestas.

Por exemplo, suponha que havia uma página para o estágio 3 do câncer de pâncreas. Nessa página havia uma lista dos 100 melhores tratamentos alternativos para o estágio 3 do câncer de pâncreas, junto com a “vida total” esperada dos novos pacientes com câncer que escolheram um desses planos de tratamento. Da mesma maneira, suponha que nessa mesma página havia uma lista da “vida total” para cada um das dezenas de tipos de tratamentos de câncer ortodoxos. Além disso, suponha que havia uma “vida total” para aqueles que recusaram todos os tratamentos.

Olhando esse gráfico, uma pessoa recém diagnosticada com câncer de pâncreas, estágio 3, poderia facilmente determinar qual dos mais de cem tipos de tratamentos de câncer teria a “vida total” mais alta para o estágio 3 de câncer do pâncreas. Da mesma forma, suponha que um gráfico semelhante existisse para cada tipo de câncer, diagnosticado em cada estágio.

Para aplicar esse conceito, suponha que você fosse diagnosticado no estágio 3 de câncer do pâncreas. Suponha que você olhou no gráfico de “Câncer de pâncreas/estágio 3” e viu que um paciente que se submeteu a um tratamento específico ortodoxo teve uma expectativa de “vida total” de 11 meses e que pacientes que foram tratados com o protocolo da vitamina C Cameron/Pauling, e não se submeteram a nenhum tratamento ortodoxo, tiveram uma “vida total” de 66 meses. (Nota: os números verdadeiros de “vida total” não são conhecidos, mas, a razão “vida total” nesse exemplo hipotético está baseada na razão verdadeira Cameron/Pauling)

Você notaria que os pacientes ortodoxos passaram meses de quimio e radioterapia dolorosos, sem falar que eles tiveram muito enjôo, a destruição do revestimento dos seus tratos digestivos, esterilidade, dano ao DNA, destruição dos seus sistemas imunológicos etc. Os pacientes da vitamina C não tiveram nenhum desses efeitos colaterais, ao contrário, tiveram seus sistemas imunológicos fortalecidos e viveram 55 meses mais. Qual desses tratamentos você escolheria com base no gráfico?

Você não adoraria ver um gráfico para a sua situação se você estivesse recém diagnosticado com câncer?? Eu adoraria ver tais gráficos. Esse website não seria necessário.

Ter um gráfico como eu acabei de descrever, para os melhores 100 tratamentos alternativos de câncer e para todos os tratamentos ortodoxos de câncer, seria fácil decidir qual protocolo de tratamento escolher. Entretanto, é propósito único da FDA, NCI (National Cancer Institute), e dos NIHs (National Institutes of Health), todas as agências governamentais, se assegurar de que tais gráficos nunca sejam criados.

Por que as agências governamentais e a Medicina Ortodoxa se opõem tanto à existência desses gráficos? Porque se tais gráficos existissem, ninguém nunca escolheria os tratamentos ortodoxos de câncer. Ninguém – NUNCA!

Se tais gráficos existissem, a porcentagem de pacientes recém diagnosticados com câncer que morreram de algo não relacionado com o câncer e não relacionado com os tratamentos de câncer subiriam para mais de 99% porque todo mundo escolheria a combinação das melhores alternativas de tratamento para o seu tipo de câncer! Isso não é um exagero!

Contudo, o governo não quer que você escolha o tratamento certo, eles querem que você escolha um dos tratamentos da Big Pharma. Eles não querem que você conheça a verdade.

Não é que essas pessoas querem que você morra – elas não se importam com isso – elas querem dinheiro. O típico empregado do governo de alto nível da FDA, NIH ou NCI será um milionário dentro de 3 anos depois de sair do governo. A Big Pharma irá premiá-lo por seus “serviços” enquanto ele estiver no governo. Isso se espalha de volta até os ouvidos dos atuais executivos e o ciclo de lealdade continua.

Essencialmente, as agências governamentais são nada mais do que departamentos da Big Pharma. Falarei mais sobre isso adiante.

Não há lobby em Washington tão grande, tão poderoso ou tão bem financiado como o lobby farmacêutico, e de acordo com um repórter do Public Citizen, mais da metade dos 625 “lobistas” registrados da indústria de drogas [isso é mais do que o número de membros do Congresso!] são ex-membros do Congresso ou ex-funcionários de membros do Congresso e funcionários do governo … sua evidência sugerindo possível viés da FDA trazido à tona por um estudo em que 37 dos 49 altos funcionários da FDA que deixaram a agência se mudaram para postos de altos executivos na corporação que eles haviam regulado. Mais de 100 funcionários da FDA possuíam ações das companhias de drogas para as quais eles foram nomeados para controlar.
http://www.jrussellshealth.com/healthpols.html

Vamos pensar sobre aquelas tabelas sobre as quais conversamos antes. Suponha que os tratamentos ortodoxos estivessem no topo de cada tabela, e tratamentos alternativos de câncer se saíssem bem mal se comparados com os tratamentos ortodoxos. Por que a Big Pharma sentiria necessidade de subornar funcionários públicos e congressistas?

Se a Medicina Alternativa não funcionasse, a FDA calaria todos os charlatões, e a Big Pharma não se importaria. Mas não é com os charlatões que a Big Pharma está preocupada. A Big Pharma suborna a FDA para calar as pessoas que podem curar o câncer.

Sim, há “charlatões” na “Medicina Alternativa”, mas, pegando os verdadeiros charlatões, dá a impressão no público de que todo mundo que a FDA pega é um charlatão. Nada poderia estar mais longe da verdade. Muitas das clínicas que os federais fecham (FDA, FTC ou qualquer outra) são clínicas alternativas muito importantes com taxas de cura muito altas.

Existem registros de profissionais liberais alternativos excelentes (alguns deles médicos) que conseguiram taxas de cura muito melhores do que as da Medicina Ortodoxa, mas, que tiveram seus trabalhos caçados pela Medicina Ortodoxa, normalmente a Associação Médica Americana ou a FDA..

Em outras palavras, se a Medicina Ortodoxa fosse superior em termos de “vida total”, por que ela não quereria que aquelas tabelas fossem construídas?! Pondere sobre isso cuidadosamente. Se a Medicina Ortodoxa fosse superior, ela alegremente juntaria as informações de estatísticas usando a “vida total” para “provar” sua suposta superioridade. Eles não precisariam de enganação atrás de enganação — a verdade contaria a história. Eles poderiam poupar um monte de dinheiro em subornos e ‘lobistas’ se aquelas tabelas existissem e seus produtos fossem superiores.

O NIH financiaria alegremente centenas de estudos legítimos para a Medicina Alternativa se esses estudos lhes dessem os resultados que eles queriam. Mas eles conhecem a verdade e sabem que eles devem suprimir a verdade e suprimir as tabelas. São as tentativas de a Medicina Alternativa agregar evidência suficiente para juntar essas estatísticas que são o alvo principal da corrupção do governo (sim, a facilidade e disposição para receber propina são dois dos principais critérios para a definição de “corrupção”).

Agora considere o seguinte. Se a terapia ortodoxa de câncer fosse superior às terapias alternativas de câncer, então os profissionais alternativos do câncer iriam querer que seus pacientes se submetessem a cirurgias, como parte do tratamento, para matar massas concentradas de células cancerosas, e esperariam que isso fizesse com que seus pacientes vivessem mais tempo. Em outras palavras, médicos alternativos usariam a cirurgia para esconder a ineficácia dos seus tratamentos. Por outro lado, os tratamentos ortodoxos não exigiriam cirurgia porque os tratamentos ortodoxos matariam células cancerosas com segurança.

Mas exatamente o oposto é verdadeiro. Terapias ortodoxas requerem cirurgia para matar massas concentradas de células com câncer e esconder suas ineficácias. Por outro lado, eu nunca ouvi nenhum dos profissionais alternativos respeitados recomendar cirurgia para matar células cancerosas. Não é necessário. A única instância em que a cirurgia é recomendada é para tirar a dor de um tumor pressionando contra outro órgão ou quando há um bloqueio ou se há algum problema imediato com risco de morte causado pelo tumor. Mas nunca a cirurgia é recomendada como parte do tratamento do câncer.

No entanto, apesar do fato de a Medicina Ortodoxa usar a cirurgia, em quase todos os casos, as pessoas viveriam mais tempo se recusassem todos s tratamentos ortodoxos, inclusive a cirurgia.

As tabelas imaginárias de que estou falando é que o establishment ortodoxo, que inclui a Associação Médica Americana (AMA), FDA, NIH, NCI, Sociedade Americana do Câncer (ACS, da sigla em inglês), caça-charlatões etc., não querem que você veja. Todas essas organizações são financiadas pela Big Pharma ou estão em conluio com a Big Pharma. Há mais de 50 livros escritos sobre essa corrupção e supressão da verdade! Você já ouviu algum desses livros discutidos na televisão?
Veja uma lista de livros

O establishment ortodoxo quer que você pense que não há “evidência científica” de que os tratamentos alternativos funcionem. De fato, nosso governo corrupto tem fabricado cuidadosamente a impressão popular de que “não há evidência científica”. Isso lhes permite justificar não criar as tabelas sobre as quais venho falando e isso lhes dá autoridade para esmagar a Medicina Alternativa. A Parte 2 deste artigo trata da política do câncer com mais detalhes.

Especialmente para aqueles que não tem câncer

As pessoas que não tem câncer raramente pensam duas vezes sobre o mesmo. Durante toda a vida, eles foram condicionados a pensar que a comunidade médica está empenhadamente fazendo progresso na “Guerra contra o Câncer”. Elas acreditam que não há nada com que se preocupar. Se elas tiverem câncer, a comunidade médica tomará conta delas e além disso a “cura” está sempre ali, “dobrando a esquina”. Tudo isso é uma pressuposição que pode lhes custar a vida!

Quando uma pessoa é diagnosticada com câncer, ela está num estado de total histeria e pânico. Ela irá se agarrar à primeira “corda” que lhe for jogada. Adivinhe, os profissionais ortodoxos estão mais do que felizes em jogar-lhes essa corda.

Quando é dito a uma pessoa que ela está com câncer, o establishment violentamente lhe dirá que ela precisa sofrer uma cirurgia imediatamente e, normalmente, que ela precisará de quimio e radioterapia. Isso foi martelado na cabeça do seu médico enquanto ele estava na faculdade de medicina – mas, é uma mentira gigantesca. Os médicos freqüentemente escalam cirurgia para um paciente antes de lhes dizer que eles estão com câncer!

Se você não está preparado de antemão, para o terror total de ouvir que você está com câncer, e para a enorme pressão da Medicina Ortodoxa, você terminará sendo cortado e provavelmente tendo um sedimento tóxico dentro das suas artérias. Você vai ficar enjoado, seu sistema imunológico será destruído, e você vai desejar estar morto, e tudo para nada, porque os tratamentos ortodoxos para câncer não valem nada e quase sempre fazem mais mal do que bem. E tudo isso acontecerá antes que você saiba o que o atingiu.

Além disso, e entenda isso cuidadosamente, médicos não lhe darão opções, particularmente suas opções de tratamentos alternativos de câncer. Se eles mencionarem tratamentos alternativos, eles falarão de usar nutrição e substâncias naturais para tratar os sintomas da quimio e da radioterapia (ou seja, Medicina Complementar), eles não estão falando dos tratamentos de câncer que esse website discute.

Muitos pacientes de câncer pensam, quando ouvem falar de Medicina Complementar, que a Medicina Ortodoxa e a Medicina Alternativa juntaram esforços numa relação aconchegante. A relação é mais de um leão com um carneiro. A Big Pharma permite uso limitado de substâncias naturais para tratar os sintomas de quimioterapia de modo que os pacientes não interrompam a quimioterapia devido ao estado de náusea. Sem dúvida, suas motivações são tais que o paciente ficará mais tempo na quimioterapia e, assim, a Big Pharma terá mais lucro.

Mas e se você foi diagnosticado e não fez seu dever de casa? Você talvez considere dizer ao seu médico que você vai “pensar sobre os tratamentos propostos” por algumas semanas. Você pode ganhar tempo pedindo ao seu médico para apresentar artigos científicos que provam que o tratamento proposto estende a “vida total” de pacientes com câncer semelhante comparados a pacientes que recusaram todos os tratamentos. (Aviso: Não se deixe enganar permitindo que seu médico fale sobre as “taxas de cura de 5 anos”)

Durante duas semanas, não vá trabalhar. Gaste essas duas semanas estudando esse website, então vá a outros websites a que eu estou ligado. Não faça absolutamente nada além de ler durante essas duas semanas.

A principal coisa que você precisa procurar são os testemunhos. São os testemunhos, não a evidência científica, que irá convencê-lo de que os tratamentos alternativos realmente funcionam. É exatamente por essa razão que o establishment médico não considera testemunhos como “evidência científica”. Mas eles são evidência científica – evidência poderosa, mas eles não levam a conclusões a que o establishment médico quer que você chegue.

Especialmente para aqueles que TEM câncer

Se você foi diagnosticado(a) com câncer, você tem uma decisão a tomar. Você deve primeiramente procurar os tratamentos ortodoxos e daí procurar os tratamentos alternativos depois que seu médico mandou você para casa, para morrer? Ou você deveria, em primeiro lugar, procurar os tratamentos alternativos?

Se essa parece uma decisão difícil, então é melhor você ler esse artigo mais duas ou três vezes.

Existe um risco de se procurar em primeiro lugar a Medicina Alternativa? Só posso pensar numa única situação em que possa ser um risco. Se o câncer está totalmente contido em um lugar do corpo, e está pronto para se espalhar pelo corpo, mas, não se espalhou. Aí a cirurgia pode ser aceitável.

Entretanto, eu duvido, com toda sinceridade, que seus médicos realmente saibam se já não se espalhou. Quando você tem sintomas, o câncer já estava no seu corpo por vários anos. A “medicina” moderna não tem indícios de onde todas as células cancerosas do seu corpo estão. Em muitos casos eu verdadeiramente acredito que eles dizem que está contido só para pegar seu dinheiro, quando de fato eles sabem que eles não sabem se já não se espalhou (ou se pode ter vindo de algum outro lugar, para começar).

Câncer geralmente é causado por uma combinação de duas coisas. Primeiro, uma dieta pobre. Segundo, um carcinogênico. Em outras palavras, uma pessoa possui uma dieta pobre, o corpo se enche de fungos, daí um carcinogênico é introduzido no corpo e a pessoa desenvolve câncer, geralmente devido aos fungos. Assim, cortando fora o câncer, a causa do câncer não foi consertada. Não há nada na Medicina Ortodoxa que trate da causa verdadeira do câncer. Assim como alguns perguntaram: “O câncer é causado por uma deficiência da quimioterapia?”

Deixe-me sugerir que você procure, primeiro, os tratamentos alternativos. Existe um risco de ter o seu sistema imunológico fortalecido? Há risco em tratar seu fígado com substâncias naturais que o limpam? Há risco em matar seletivamente células com câncer com substâncias criadas pelo próprio Deus? Existe risco em tratar a causa do seu câncer?

Mais importante, há um risco em evitar cirurgia? Há um risco em evitar quimioterapia, que destrói seu sistema imunológico além de destruir suas hemácias? Há um risco em se evitar radioterapia que queima muitas das suas células saudáveis, até a morte?

Eu suponho que há um risco de se procurar a Medicina Alternativa em primeiro lugar. O nível do risco é altamente dependente de quanto dever de casa você faz.

Agora a má notícia. A maioria das pessoas que procuram a Medicina Alternativa já foi mandada para casa, para morrer, e elas sentem que “não têm nada a perder” indo procurar a Medicina Alternativa.

A realidade é que vários tratamentos alternativos têm demonstrado curar mais de 90% dos pacientes com câncer que usam esse tratamento em primeiro lugar. Entretanto, para as pessoas que primeiramente procuram a Medicina Ortodoxa, e em algum ponto no tempo, são mandadas para casa, para morrer, nunca vi uma taxa de cura que fosse maior do que 50%.

Faça os cálculos. Se você primeiro procura a Medicina Ortodoxa (índice de cura de 3%), e DEPOIS procura tratamentos de câncer alternativos, mesmo que você use o tratamento melhor e mais forte que há, sua chance de sobreviver ao seu câncer é cortada pela metade.

Há vários problemas com as pessoas que foram mandadas para casa, para morrer. Primeiro, seus corpos, e particularmente seus órgãos principais, foram severamente danificados e frequentemente esses órgãos não podem ser tratados, especialmente o fígado. Segundo, seus sistemas imunológicos foram destruídos antes de eles terem sido mandados para casa, para morrer. Terceiro, eles perderam meses ou anos esperando que a Medicina Ortodoxa os mandasse para casa, para morrer, tempo esse que não está disponível para a Medicina Alternativa funcionar.

A verdade é que mesmo se houvesse um tratamento alternativo de câncer que removesse, com segurança, cada célula com câncer do corpo de um paciente em poucos dias, muitos daqueles enviados para casa, para morrer, morreriam (mesmo depois desse tratamento mítico) devido aos danos feitos pela Medicina Ortodoxa – sem uma única célula de câncer nos seus corpos.

O último problema é que os poucos tratamentos alternativos que podem curar alguns pacientes com câncer mandados para casa, para morrer, funcionam matando células com câncer, o que deve ser feito vagarosamente para evitar que muitas toxinas sejam liberadas pelas células cancerosas que estão morrendo e pelas células mortas de câncer. Assim, um tempo a mais será perdido durante o tratamento.

Nota: O único tratamento alternativo que se provou ser o tratamento mítico mencionado anteriormente (que cura câncer em dias) foi destruído pela Associação Médica Americana nos anos 30. Foi a Rife Machine e revertia células de câncer, com segurança, em células normais sem matar as células cancerosas e assim sem liberar uma grande porção de toxinas. Tratamentos que matam as células de câncer não podem funcionar tão rápido.

Tendo dito tudo disso, o melhor dos melhores dos poucos tratamentos que são forte o suficiente para pacientes com câncer avançado é a combinação de cloreto de césio e DMSO, que é o coração e a alma do “Estágio IV” do tratamento de câncer nesse website. Para pacientes com câncer no Estágio IV, aqueles enviados para casa, para morrer, aqueles com câncer que espalha rápido, e aqueles cânceres com alta fatalidade, leiam esse artigo:
Treatment For Stage IV Cancers (Tratamento para cânceres no Estágio IV)

Para todos os outros pacientes com câncer, você pode começar com este artigo:
Treatment For Stage I, II and III Cancers (Tratamento para Estágios I, II e III de câncer)

Um tratamento alternativo de câncer é composto de 3 fases:

    1. Fase 1: Trate seu câncer por pelo menos dois meses depois que todos os sintomas desapareceram,
    2. Fase 2: Um plano menos restrito de 1 ano para assegurar que todas as células estão mortas,
    3. Fase 3: Um plano de prevenção de câncer para toda a vida menos restrito ainda.

Os dois artigos acima são para a Fase 1. Há outros artigos neste website para Fase 2 e Fase 3.

Você conhece alguém com câncer?

Muitas das pessoas que lêem esse artigo estão tentando decidir se vão falar deste website a alguém que conhecem,que tem câncer. É uma decisão muito mais fácil do que você imagina. Não tome decisões por eles! Conte-lhes sobre este website e deixe-os decidir o que fazer!

Eu sei que você ama a pessoa e quer o melhor para ela. Isso é bom, mas uma pessoa com câncer tem o direito de conhecer suas opções e tomar suas próprias decisões. É a vida dela que está em risco, deixe-a tomar as decisões difíceis. É a pessoa com câncer que precisa conhecer suas opções.

A Parte 3 desse artigo trata com muito mais profundidade a corrupção e a política da “medicina” moderna.

Copyright (c) 2003, 2004, 2006 R. Webster Kehr, todos os direitos reservados. Esse artigo pode ser downloaded, armazenado na Internet, impresso, ou enviado a outros por e-mail, contanto que não seja modificado de nenhuma maneira e essa nota sobre copywright seja mantida intacta.

CancerTutor Home Page
Parte 1 – A Medicina
Parte 3 – A Política

Important Notes:

Por favor, envie esse site por e-mail aos seus amigos, e faça um link na sua web page a ele!

Clique aqui para ler a retratação exigida pela FDA: FDA Required Disclaimer and Discussion of Key Terminology

Clique aqui para ler sobre o autor da web page: About R. Webster Kehr

Para contatar CancerTutor veja o pé da página principal da web page.